Ginecomastia. Entenda o que é, quais as causas, principais tratamentos, o que você deve saber.

Ginecomastia. Entenda o que é, quais as causas, principais tratamentos, o que você deve saber.

Um problema que costuma incomodar muito os homens, impactando diretamente na autoestima e na percepção da masculinidade, a ginecomastia é caracterizada pelo crescimento do tecido mamário no sexo masculino, levando a uma série de desconfortos, tanto estéticos quanto sociais, podendo também ocasionar sintomas dolorosos.

Apesar de ser uma condição bastante comum, especialmente em adolescentes e em pessoas idosas, também é possível que essa condição ocorra em outros momentos da vida do indivíduo do sexo masculino, sendo importante buscar o apoio médico para identificar as causas.

Explicamos agora, em detalhes, o que é a ginecomastia, quais são as principais causas desse tipo de condição, quais os tratamentos utilizados atualmente, como é possível identificar a ginecomastia e também o que é necessário saber a respeito dela. Confira mais informações abaixo e ótima leitura!

O que é ginecomastia?

Todos os homens possuem tecido mamário desde que nascem, assim como as mulheres, mas a ausência de determinados hormônios específicos faz com que a mama masculina não se desenvolva, o que acaba por acontecer em pacientes que possuem a condição da ginecomastia que, apesar de benigna (não representa risco de malignização), impacta diretamente a autoestima e em alguns casos pode ter sintomas dolorosos.

Essa condição é bastante comum e costuma ocorrer principalmente em homens na fase da adolescência,quando várias alterações hormonais acontecem sendo considerada normal dentro dessa faixa de idade e não necessitando de tratamento ou intervenção médica caso desapareça após a puberdade.

No entanto, algumas doenças crônicas, uso de medicações, condições genéticas e até mesmo o uso de substâncias como anabolizantes, por exemplo, podem levar o indivíduo adulto a desenvolver o quadro de ginecomastia, em grande parte pelo desequilíbrio dos níveis de testosterona e estrogênio.

Também é bastante comum, com o aumento dos índices de obesidade infanto-puberal, que jovens procurem o auxílio médico pelo aumento do volume das mamas. Nesse caso, é importante que o médico faça o diagnóstico entre a ginecomastia verdadeira e um quadro de lipomastia, que é o acúmulo de gordura na região.

Quais são as principais causas desse problema?

A ginecomastia pode ocorrer em homens de todas as idades, mas é possível definir algumas causas mais comuns para seu surgimento, que costumam estar diretamente relacionadas à alterações nos níveis de testosterona no organismo. Algumas das causas mais comuns para o surgimento da ginecomastia incluem:

  • Tratamento quimioterápico para câncer;
  • Doenças hepáticas crônicas;
  • Exposição a hormônios anabolizantes;
  • Exposição ao estrogênio;
  • Insuficiência renal;
  • Tratamento hormonal para câncer de próstata;
  • Efeitos colaterais de alguns medicamentos;
  • Tumores;
  • Hipertireoidismo;
  • Em casos muito raros, câncer de mama.

Quais são os principais tratamentos utilizados?

É importante também compreender quais são as opções de tratamento disponíveis para os quadros de ginecomastia em homens adultos, especialmente nos casos onde o médico especialista identifica anormalidade na condição, ou seja, que não é esperado o desaparecimento natural do quadro. Listamos abaixo alguns dos principais tratamentos utilizados para a ginecomastia:

Tratamento medicamentoso

Em muitos casos, o tratamento mais comum para a ginecomastia consiste no uso de medicação, que permite lidar com o problema de forma eficiente. Em geral, o tratamento medicamentoso é indicado quando a hipertrofia mamária .Provável de alterações hormonais, quanto mais precoce for o diagnóstico ginecomastia, mais eficiente é o tratamento medicamentoso.Em geral é utilizado o tamoxifeno, medicamento antiestrogênico, que faz com que os índices do hormônio sejam reduzidos nos indivíduos do sexo masculino.

Tratamento cirúrgico

Nos casos de ginecomastia verdadeira, isto é, onde existe a presença do componente glandular e hipertrofia em decorrência de disfunção hormonal, o procedimento consiste na retirada das glândulas e do tecido adiposo, por meio de sedação local ou de anestesia geral.

Já em casos de pseudoginecomastia, onde o volume mamário é gerado apenas pelo aumento do tecido adiposo, pode ser realizado o procedimento de lipoaspiração na região afetada, tanto pela técnica de lipoaspiração tradicional ou ultrassônica.

Como identificar a ginecomastia

Existem alguns sintomas e indícios que permitem identificar o surgimento do quadro de ginecomastia, facilitando a busca pelo auxílio médico especializado nos estágios iniciais, facilitando o tratamento do problema. Veja abaixo alguns dos sintomas mais comuns:

  • Sensibilidade nas mamas;
  • Aréola assimétrica, tanto de posicionamento quanto de formato e tamanho;
  • Secreção mamilar;
  • Coceira excessiva na região do peito;
  • Inchaço na região ou dores ao toque.
  • E claro o mais visível e comum aumento do volume mamário.

 

O que você precisa saber a respeito da ginecomastia

Apesar de não se tratar de um quadro clínico que cause riscos à saúde do paciente de forma direta, a ginecomastia pode impactar negativamente a autoestima do homem e também representar indício de outros problemas de saúde e, por isso, é indicado buscar apoio médico assim que surgirem suspeitas desse quadro.

Como sempre destacamos, é importante que todo procedimento médico seja realizado com o suporte de um médico especialista e após consulta pormenorizada, visando identificar quais as causas do problema a ser tratado e também compreender quais os tratamentos mais indicados para as necessidades de cada paciente.

O que você achou de saber mais a respeito da ginecomastia? Se você ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo. Conte conosco!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

× Como posso te ajudar?