Prevenindo o envelhecimento da pele: o inimigo sol

Prevenindo o envelhecimento da pele: o inimigo sol

O sol agride a pele mais do que é possível visualizar. Sorrateiramente ele vai deixando as células com pequenos defeitos e assim agredindo várias estruturas como: DNA(proteína do núcleo celular), melanócitos (células que da cor a pele), vasos , fibras colágenas e elásticas (responsáveis pela firmeza da pele). Essa agressão é neutralizada, em parte, pelas defesas naturais da pessoa, mas vai se acumulando até que com idades mais avançadas (por volta dos 40 anos) começam a aparecer as conseqüências dessa agressão: aspereza,manchas,rugas e os vários tipos de câncer de pele. É importante diminuir a exposição ao sol limitando o tempo de exposição ao e utilizando fotoprotetor com aplicações generosas a cada 2 ou 3 horas e após 3 h de exposição é conveniente se resguardar sob um guarda-sol e vestir uma camiseta ou qualquer outra proteção, enfim, não expor a pele em demasia ao sol. A fotoproteção mais efetiva deve ser iniciada na infância e ser continuada ao longo da vida.

O fotoenvelhecimento é a sobreposição de dano crônico induzido pelos raios UV e envelhecimento intrínseco, sendo responsável pela maioria das alterações associadas à idade quanto ao aspecto da pele. Esse processo é desencadeado por sinalização iniciada por receptor, dano mitocondrial, oxidação de proteínas e respostas a dano ao DNA com base em telômeros (nome dado a ponta do cromossoma que determina o envelhecimento).

Sol na medida certa:

– Evitar o excesso de sol

-Preferir o horário até 10 horas e após 15:30 horas

-Usar filtro solar com fator de proteção igual ou superior a 30

-Passar filtro em todo corpo incluindo pés e orelhas.

-Repetir o uso do filtro após os primeiros 30 min. de exposição e a cada 2a3 h.

-Não usar bronzeadores sem filtro solar.

-Ingerir bastante líquido

Oxidação como intensificador do envelhecimento

A pele está exposta a numerosas agressões do meio ambiente que podem levar ao envelhecimento precoce. Entretanto, esse sistema de defesa pode estar comprometido pela exposição moderada à luz do sol. Portanto fortificar o sistema de defesa antioxidante da pele é uma estratégia importante para reduzir o dano cutâneo induzidos pelo meio ambiente.

Estudos recentes apresentados no ultimo congresso mundial de dermatologia, mostram que antioxidantes orais têm o potencial de minimizar uma resposta inata anti-câncer iniciada pelo telômero, além de promover o reparo do DNA e reduzir mutações pós-exposição à luz solar. Este estudo também classificou os antioxidantes quanto à evidência clinica na prevenção do fotodano, sendo em ordem decrescente:

1) Vitamina E

2) Vitamina C

3) Polipodium leucotomos

4) Polifenóis do Green Tea, Resveratrol (vinho) e outros flavonóides

5) Carotenóides e vitamina A.

Estes nutrientes ou protetores orais ajudam a diminuir a lesão causada pelo sol e a ingestão mais elevada de Vit C e ac. Linoléico, e mais baixa ingestão de gordura e carboidratos, esta associada à melhor aparência da pele durante o processo de envelhecimento. Entretanto, a quantidade de proteção que eles oferecem não é suficiente para uso isolado.

Por Maria Cristina Mesquita

Comentar

Seu e-mail não será divulgado