34ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica

34ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica

A 34ª Jornada Paulista de Cirurgia trouxe muitas novidades da área. Os pontos abordados e de grande importância na reunião foram como a cirurgia plástica pode ajudar no tratamento de portadores do HIV, e o aumento significativo nos procedimentos de prótese de glúteo no Brasil.

Entre os dias 30 e abril e 3 de maio de 2014 aconteceu no Hotel Grand Hyatt, na cidade de São Paulo a 34ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica. O evento tem grande importância no Brasil e internacionalmente. O evento reuniu membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e médicos do outras partes do mundo e discutiu temas variados sobre o mercado e estudos científicos sobre diversos casos. O evento é considerado o terceiro maior da área no mundo.

Um ponto interessante e que chamou atenção da imprensa e das mídias, sendo um dos principais temos de discussão da Jornada foi o fato de a cirurgia plástica poder ser uma boa auxiliadora e ajudar no tratamento de portadores do HIV.

“Hoje em dia, o paciente não morre pelo HIV, mas por algumas sequelas como perda de gordura corporal no corpo, ou o acúmulo faz com que a pessoa fique estigmatizada. Ao corrigir essas alterações estéticas, as pessoas passam a viver uma vida mais normal”, disse à Agência Efe o presidente da Regional São Paulo da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), Fernando de Almeida Prado.

Essa perda ou acúmulo é classificada como lipodistrofia, comum em pessoas portadoras do vírus por precisarem tomar muitos medicamentos que geram acúmulo de gordura nos braços, pernas, glúteo, nuca e tórax, que pode ser eliminado com cirurgia plástica.

Em sua 34ª edição, a jornada tenta esclarecer a polêmica em torno dos mitos sobre perigos da cirurgia plástica. “A cirurgia plástica é cada vez mais segura, hoje as tecnologias ajudam nessa qualidade.Ela aparece como excelente opção para o tratamento desses casos, que oferece também a elevação da autoestima desses pacientes”, comentou Prado.

A lipodistrofia em pacientes soropositivos é considerada um sintoma novo, já que o coquetel de medicamentos para combater o HIV propiciava uma sobrevida de poucos anos aos pacientes. Com o avanço nas pesquisas e a eficácia dos medicamentos, o aumento da expectativa de vida dos pacientes cresceu e os efeitos ocasionados têm condição de serem tratados com outros métodos.

Outro assunto de peso do encontro foi a estatística que nos coloca como primeiros do mundo no procedimento de prótese de glúteo. Estudo apresentado por fabricante afirma que número de operações no País cresceu 547% em dois anos e mercado local já é quatro vezes maior que o dos EUA

O número é de um estudo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, e foi apresentado durante a Jornada Paulista de Cirurgia Plástica, pela empresa Global Consolidated Aesthetics, maior fabricante de próteses da Europa.

Segundo o estudo, a prótese de glúteos foi o procedimento cirúrgico que mais cresceu no País em 2013 e o número total desse tipo de operação no Brasil já é 4,2 vezes maior do que nos Estados Unidos.

Em 2013, cerca de 35 mil pacientes do Brasil fizeram o implante para aumentar os glúteos com prótese de silicone, cirurgia conhecida como gluteoplastia com implante.

Comentar

Seu e-mail não será divulgado